Connect with us

Mundo Animal

Mulher exige que vizinha mude nome de gato por achar ‘ofensivo’

Artigo

em

Escolher o nome de um animal de estimação é uma tarefa desafiadora para muitos tutores. Alguns procuram por nomes com um significado pessoal, enquanto outros buscam inspiração em programas de televisão, filmes e livros. Mas, mesmo com tantas opções disponíveis, a escolha do nome certo nem sempre é fácil.

Recentemente, uma mulher que é tutora de um gato se viu em uma situação complicada. Ela compartilhou na rede social Reddit que, após dar ao seu gato preto o nome do personagem de uma série de televisão, recebeu reclamações. Ela explicou que se tornou fã da série e decidiu nomear seu gato de Lúcifer, mas também o chama de “Lucy” e “Lulu”.

LEIA TAMBÉM

No entanto, ao se mudar para um novo apartamento, a mulher descobriu que uma menina de sete anos da vizinhança também se chamava Lucy. Depois de saber da chegada deles, a mãe da criança foi até a casa dela para ordenar que a mulher mudasse o nome de seu pet.

“A mãe, que não visitou nossa casa antes e provavelmente ouviu dos outros vizinhos, tem batido à nossa porta pedindo para mudarmos o nome do nosso gato. [Ela quer que mudemos] porque eles são cristãos, e relacionar o nome do meu gato Lúcifer, que também apelidamos de Lucy, à filha deles, seria ofensivo”.

Leia também:

A tutora se recusa a mudar o nome do gato

Chocada pelo pedido, a tutora rapidamente avisou a vizinha que que não mudaria o nome de seu gato por essas razões. Entretanto, a mãe da criança ficou perturbada com isso e até mesmo o namorado da tutora considerou a possibilidade de mudar o nome do gatinho.

“A vizinha está ficando bastante chateada com isso e até meu namorado disse que mudar o nome de Lúcifer não é nada demais, que poderíamos até mentir para ela que já mudamos o nome dele. Eu disse: ‘Não, por que eu deveria mudar o nome do meu gato ou mentir sobre mudar de nome quando na verdade não é da conta dela? Eu não quero ceder a ela por razões tão bobas”, continuou a tutora do gato na publicação.

Internet dividida

Enquanto a maioria dos usuários concordou que a tutora não deveria mudar o nome de seu gato, outros compartilharam seu choque em relação à mãe que ordenou uma mudança de nome de um animal de estimação. Um usuário escreveu: “Você está inteiramente certa de que não é da conta de seu vizinho o nome de seus gatos”.

“Você não precisa mudar o nome de seus gatos para alguém que basicamente nunca irá interagir com o gato”, acrescentou outro usuário. “Diga a eles para mudar o nome de sua filha”, sugeriu outro, brincando.

E você, o que acha disso? Ela deveria mudar o nome do gato a pedido da vizinha?

Fonte: Tribuna de Jundiaí

Mundo Animal

Cão abandonado em casa vazia não faz ideia de que sua família não vai voltar

Artigo

em

Por

Amanda passeava com seu cachorro em sua vizinhança quando notou outro cão passando correndo por ela. A princípio, ela pensou que o cão pertencia a um de seus vizinhos. Mas logo percebeu que algo não estava certo – o pet precisava de sua ajuda.

“Percebi que ele estava sozinho e assustado. Ele estava absolutamente apavorado”, disse Amanda ao The Dodo.

LEIA TAMBÉM

Um dos vizinhos a informou que o tutor do cão havia falecido recentemente e a família decidiu simplesmente abandoná-lo em vez de levá-lo a um abrigo. Assim, ele foi deixado sozinho.

A jovem tentou fazer com que o cão abandonado voltasse para casa com ela. Mas quando estava prestes a entrar na casa, ele se assustou. Amanda entendeu então que conquistar a confiança desse cão não seria fácil e que isso era algo que ela não conseguiria fazer sozinha.

Ela entrou em contato com os vizinhos e contou a eles sobre o cão abandonado que estava correndo pela vizinhança. Amanda ficou chocada e comovida com a forma como toda a comunidade trabalhou em conjunto para garantir que o cachorro ficasse bem. “Todos nós nos unimos e deixamos água fresca e comida para o cachorro. Eu passava pelas casas e havia água fresca no final da entrada da garagem de todos. Foi muito gentil”, disse.

Determinada a salvar o cão abandonado

Amanda estava determinada a conquistar a confiança do cão abandonado. “Eu ficava sentada com ele todos os dias enquanto ele comia. Mas assim que a comida acabava, ele saía correndo pela rua”.

Sempre que alguém se aproximava do cachorro, ele fugia. Então, a jovem decidiu batizá-lo de Houdini, em homenagem a outro famoso artista de fuga.

Um dia, depois do que pareceu uma eternidade, Houdini decidiu deixar Amanda colocar uma coleira nele. “Eu estava pensando: ‘Vamos, estamos indo para casa! Ele me deixou fazer isso’. Foi uma loucura”, disse Knight.

Não demorou muito para que Houdini se transformasse completamente. Você pode ver pela expressão em seu rosto o quanto ele se sente feliz e aliviado por ter novamente um lar seguro e amoroso. “O modo como seus olhos estavam [no início] era muito triste. Então, depois, você pode ver a esperança”.

Agora, o cachorro abandonado está sob os cuidados amorosos de uma tutora temporária. Mas Amanda já deixou claro que, se a tutora temporária decidir não ficar com ele, ela mesma o adotará.

Leia também:

Fonte: Tribuna de Jundiaí

Continue lendo

Mundo Animal

Gato tem reação emocionante ao ver retrato de melhor amiga que morreu; VÍDEO

Artigo

em

Por

Quando essa doce cadela sênior chamada Cleo entrou em seu 11º ano de vida, sua família adotou um gato agitado chamado Groot. No início, o cachorro estava cético em relação ao seu novo e mal-humorado irmão felino, mas a energia e a natureza amorosa do felino logo se mostraram contagiantes.

“Ela se tornou amiga dele”, disse Asya Cutrino, a tutora dos animais, ao The Dodo. “Com o passar do tempo, eles criaram laços”.

LEIA TAMBÉM
Gato e cachorro
Foto: Reprodução/Asya Cutrino/The Dodo

Groot adorava dar patadas e saltar sobre seu companheiro canino idoso, que, por sua vez, parecia gostar do afeto. Dito isso, o gatinho também encontrou paz e conforto no ritmo de vida mais lento de Cleo. Os dois podiam ser encontrados com frequência aninhados um ao lado do outro em harmonia, apesar de suas diferenças. Mas a coisa boa que Groot e Cleo compartilhavam não podia durar para sempre.

Gato e cachorro
Foto: Reprodução/Asya Cutrino/The Dodo

Gato Groot ficou de luto pela amiga canina

Após 10 meses de amizade, Cleo adoeceu. Uma semana depois, o cachorro faleceu. “Groot ficava sentado na porta da frente, esperando que ela voltasse”, disse a tutora. “Ele estava deprimido.” Era como se a outra metade do gato tivesse ido embora.

Gato e cachorro
Foto: Reprodução/Asya Cutrino/The Dodo

Asya e sua família também ficaram tristes com a morte de Cleo. Assim, para homenagear a amada cadela, eles criaram um grande retrato dela para pendurar em uma parede – uma forma de lembrar seu rosto sorridente. Mas eles não foram os únicos a encontrar consolo nesse retrato.

Depois de pendurar o retrato, a mulher notou que seu gatinho também parava para olhar para ele, estendendo uma pata carinhosa para acariciar gentilmente o rosto de Cleo. “Eu e toda a minha família choramos muito quando ele fez isso”, disse Asya.

Atualmente, já passou tempo suficiente para que a dor da perda do cachorro desse lugar a uma lembrança mais agridoce. “De vez em quando, ele passa pelo retrato. Tenho certeza de que ele se lembra dela”, disse a mulher. “Quando assisto a vídeos antigos de Cleo e ela está latindo, Groot imediatamente corre para ver se ela está lá.”

Gato fazendo carinho em cachorro
Foto: Reprodução/Asya Cutrino/The Dodo

Embora nada possa substituir Cleo no coração do gato e sua família, eles ainda têm muito amor para dar. Recentemente, eles adotaram um novo gatinho, cuja presença brincalhona trouxe nova felicidade para suas vidas.

Gatos em cima de mesa
Foto: Reprodução/Asya Cutrino/The Dodo

A nova gatinha de Asya nunca teve a chance de conhecer Cleo, mas ela viu sua foto. Entretanto, de alguma forma, o espírito de Cleo nunca foi embora, disse a tutora: “Ela está sempre aqui, em nós e em Groot”.

Leia também:

Fonte: Tribuna de Jundiaí

Continue lendo

Mundo Animal

Cachorro mais velho do abrigo observa todos passarem por ele em evento de adoção

Artigo

em

Por

Quando a equipe do Serviço Animal de Orange County se inscreveu para um megaevento de adoção no mês passado, eles imediatamente souberam quais cachorros deveriam levar. Eles sabiam que algumas ninhadas de filhotes e alguns cães pequenos atrairiam possíveis adotantes, mas eles realmente esperavam encontrar lares para seus residentes mais antigos e mais longos, como a pit bull chamada Bebêzinha.

Bebêzinha chegou ao abrigo em fevereiro de 2024, depois que um bom samaritano a viu em uma situação perigosa. “Alguém a viu tentar atravessar uma rodovia movimentada. Eles conseguiram parar a cadela e colocá-la dentro do carro, possivelmente salvando sua vida”, escreveu o abrigo no Facebook.

LEIA TAMBÉM
Cachorro pit bull em abrigo
Foto: Reprodução/Facebook/OCAS Foster Canine Chronicles

O homem levou o cachorro às pressas para a sede da ONG, onde uma equipe de socorristas dedicados a recebeu de braços abertos. Depois de receber muito carinho, Bebêzinha deixou que a equipe fizesse um check-up completo. Além de ser um cachorro saudável de 9 anos de idade, a equipe logo percebeu o quanto ela era carinhosa.

“Ela é doce e gentil com as pessoas e já dividiu seu espaço com outros cães”, escreveu a OCAS no Facebook. “Não sabemos nada sobre sua vida passada ou por quanto tempo ela ficou abandonada. Mas sabemos de uma coisa: ela merece algo melhor do que passar seus últimos anos dentro de nossos canis.”

Leia também:

Ninguém queria o cachorro

O abrigo prometeu encontrar um lar permanente para a pit bull mas, enquanto isso, decidiu encontrar uma solução temporária para o problema do abrigo barulhento. Uma voluntária dedicada, Su Morrison, havia se apaixonado por Bebêzinha e concordou em dar a ela um lar temporário.

O tempo que o cachorro passou no lar temporário foi tudo o que ele poderia esperar. Ela trocou seu canil barulhento por um lar tranquilo, com brinquedos e camas confortáveis para tirar um cochilo. Seus tutores temporários ficaram imediatamente encantados com ela.

“Ter a Bebê em nossa casa é um prazer”, escreveu Su. “Quanto mais tempo ela fica, mais vemos como ela é uma verdadeira boba. Ela é uma garota tão feliz.”

Cachorro pit bull em abrigo
Foto: Reprodução/Facebook/OCAS Foster Canine Chronicles

As semanas se tornaram meses, e Bebêzinha ainda não conseguia encontrar uma família permanente, o que a tornou uma das residentes mais antigas do abrigo. Foi então que a equipe decidiu levá-la ao evento de adoção em maio, esperando que um dos milhares de visitantes a levasse para casa.

No evento de adoção, entretanto, todos passaram pela pit bull sem pensar duas vezes. A cachorrinha deprimida observava de seu canil enquanto os visitantes passavam por ela sem sequer vê-la. Você pode assistir a esse momento aqui:

Falha no ‘lar temporário’

No final do fim de semana, 58 residentes da OCAS foram adotados. Infelizmente, Bebêzinha não foi uma delas. “Ninguém está fazendo fila do lado de fora por horas por essa doce menina. Ninguém está lutando por ela”, escreveu o abrigo. “Ninguém está implorando para adotá-la, e isso é de partir o coração.”

O cachorro voltou para seu lar temporário sentindo-se derrotada e sem esperança em relação ao seu futuro. Então, ela recebeu o pedido de adoção perfeito: Sua tutora temporária queria ficar com ela.

Su adotou a pit bull oficialmente no dia 11 de junho de 2024 e, desde então, tem adorado a vida. Agora, a doce menina passa seus dias fazendo caminhadas ou passeios de carro com seus novos humanos favoritos – e nenhuma das partes gostaria que fosse de outra forma. “Outra falha no lar temporário, outro cão feliz”, escreveu Su em um comentário no Facebook.

Cachorro pit bull em abrigo
Foto: Reprodução/Facebook/OCAS Foster Canine Chronicles

Fonte: Tribuna de Jundiaí

Continue lendo
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

TAGS

+ VISTOS

Copyright © 2021 powered by Tribuna de Indaiatuba.