Connect with us

Mundo Animal

Santuário animal permite que visitantes escalem montanha com centenas de cachorrinhos

Artigo

em

Aninhado nas montanhas da Costa Rica, o Territorio de Zaguates é um santuário que abriga mais de 1,8 mil cachorros abandonados. Isso pode parecer inacreditável, mas é real e realmente é um lugar mágico.

O santuário nasceu há cerca de 17 anos, a partir do desejo de Lya Battle e Alvaro Saumet de ajudar cães de rua da Costa Rica. Eles começaram o resgate em sua casa de dois cômodos, mas quando já tinham mais de 100 cães, perceberam que precisavam de mais espaço. O avô de Lya havia deixado para ela uma fazenda de 370 acres nas montanhas. Então eles arrumaram suas vidas e seus cães e transferiram seus esforços de resgate para lá.

LEIA TAMBÉM

Depois que alguns abrigos locais fecharam e deixaram seus cães sob os cuidados do casal, o número de cães no santuário cresceu. O mundo todo começou a reconhecer os esforços do resgate e, atualmente, mais de 1 mil cães podem chamar o santuário de lar.

“Somos um lar temporário para centenas de cachorros em busca de uma segunda chance. Portanto, a maioria dos nossos cães pode ser adotada (nacional e internacionalmente). Mas também somos o lar permanente de muitos outros que talvez nunca encontrem uma família por causa de sua aparência, idade ou necessidades especiais”, disse Lya ao The Dodo.

Andando pela propriedade do santuário, é realmente um paraíso. Há campos para brincar e montanhas para caminhar. E não importa aonde você vá, sempre há pelo menos uma dúzia de cães ansiosos para acompanhá-lo ao longo do caminho.

“Nossos cuidadores ‘correm’ com os cães cerca de três vezes por dia, cada corrida/caminhada tem cerca de três horas de duração”, disse Lya. “Esse é o tempo que eles normalmente usam para correr montanha acima, se sujar mais e brincar no pequeno lago artificial que fizemos para eles. Nossa matilha de centenas de cães se divide em matilhas/grupos menores, cada um liderado por um cuidador. Os cães tendem a ‘escolher’ um deles como alfa e a se integrar ao grupo. Portanto, mesmo quando têm a chance de andar livremente pela propriedade, eles tendem a ficar juntos com os tratadores porque adoram ficar com sua pessoa.”

Foto: Territorio de Zaguates

Além disso, há também áreas para cães idosos e com necessidades especiais, e para cães que precisam de um pouco mais de espaço longe do resto dos residentes. Alguns dos cães que estão no santuário há muito tempo gostam de explorar a propriedade por conta própria e já adquiriram confiança suficiente com seus cuidadores para saberem que sempre voltarão para seus currais no final do dia. Uma das partes mais agradáveis do Territorio de Zaguates sempre foi o fato de eles receberem o público para visitá-los e fazer caminhadas com seus muitos, muitos cães.

Leia também:

Cuidados necessários

O santuário funciona totalmente a partir de doações, o que às vezes pode complicar suas atividades. Mas todos os envolvidos estão totalmente comprometidos em garantir que cada um dos cães receba os cuidados necessários. “Como é de se esperar, às vezes somos obrigados a priorizar a alimentação e a atenção veterinária aos cães e os projetos são adiados, mas continuamos trabalhando e continuamos firmes”, disse Battle.

Fonte: Tribuna de Jundiaí

Mundo Animal

Cachorro faz surpresa de Dia das Namorados para cãopanheira

Artigo

em

Por

Este é Pipoy – um gato bonito que, por algum motivo, nunca foi um felino muito falante. Em casa com sua tutora, Ladeen Lacambra, Pipoy não dá um pio sequer. “Ele tem um ano de idade. Desde que o temos, não o ouvimos emitir nenhum som”, disse Ladeen ao The Dodo. Apesar de ser um gato quieto, Pipoy está longe…

Fonte: Tribuna de Jundiaí

LEIA TAMBÉM

Continue lendo

Mundo Animal

Mata Ciliar de Jundiaí recebe dois cachorros-do-mato em dois dias

Artigo

em

Por

A Mata Ciliar de Jundiaí destaca o aumento do número de animais silvestres em áreas urbanas, como o recente caso de cachorros-do-mato em Valinhos e Itatiba. Em apenas dois dias, a Cras recebeu dois filhotes de cachorro-do-mato em situações distintas.

De acordo com a associação, o primeiro estava preso dentro de uma empresa em Valinhos. Após avaliação da equipe, ele não apresentava alterações clínicas ou comportamentais e foi imediatamente solto de volta à natureza.

LEIA TAMBÉM
Cachorro-do-mato resgatado dentro de caixa de transporte
Foto: Mata Ciliar de Jundiaí

O segundo cachorro-do-mato, encontrado debilitado em via pública de Itatiba, tinha cinomose canina, uma doença grave que o impossibilitava de se alimentar ou se levantar. Infelizmente, o animal não resistiu e faleceu.

De acordo com a Mata Ciliar, a instituição já recebeu dez cachorros-do-mato neste ano, todos vítimas da perda de seus habitats naturais. Essa perda leva os animais a buscarem refúgio em áreas urbanas, onde se deparam com diversos perigos, como atropelamentos, contato com doenças de animais domésticos, armadilhas, ingestão de lixo e desorientação.

As cidades de Valinhos e Itatiba têm uma parceria com a Mata Ciliar de Jundiaí, para resgate, reabilitação e soltura de animais silvestres.

Leia também:

Mata Ciliar de Jundiaí

A Associação Mata Ciliar de Jundiaí é uma entidade sem fins lucrativos declarada de Utilidade Pública Federal e que desde 1987 desenvolve diversas ações para a conservação da biodiversidade.

Assim, durante esse período, a associação enfrentou diversos desafios e alcançou conquistas em parceria com instituições privadas, poder público e com a sociedade.

Fonte: Tribuna de Jundiaí

Continue lendo

Mundo Animal

Filhotes abandonados em colchão velho nunca saíram do lado um do outro

Artigo

em

Por

Um homem passeava com seu cachorro quando se deparou com algo que o fez parar. Em uma pilha de colchões velhos no lixo, ele viu algo se movendo. Quando chegou mais perto, percebeu o que estava vendo – uma ninhada de seis filhotes de cachorro abandonados, deixados à própria sorte.

Foto: Reprodução/Silverstray Social/The Dodo

Assim que percebeu o que estava acontecendo, ele ligou para a ONG de resgate animal Silverstray Social. Era a noite de uma sexta-feira e a equipe não esperava mais chamadas de resgate. Mas assim que souberam dos filhotes jogados, entraram em ação.

LEIA TAMBÉM

Enquanto Layce, uma voluntária da ONG, estava a caminho, o homem que havia encontrado os filhotes os colocou em um canil improvisado. Assim que Layce chegou, ela viu que os cachorros estavam extremamente magros – estavam morrendo de fome. Com base em seu tamanho, os protetores presumiram que eles não poderiam ter mais de dois meses de idade.

Foto: Reprodução/Silverstray Social/The Dodo

Mas, quando tiveram a chance de avaliá-los completamente, a equipe teve uma grande surpresa sobre a idade que eles realmente tinham. “O que todo mundo achava que eram filhotes de 6 a 8 semanas de idade, acabaram sendo filhotes de 6 meses de idade… Isso é o quanto eles estavam desnutridos”, disse Kelly Carey, fundadora da Silverstray Social, ao The Dodo.

Foto: Reprodução/Silverstray Social/The Dodo

Nova luz em seus olhos

Assim, Kelly entrou em contato com diferentes organizações parceiras com as quais trabalha para ver quem poderia ficar com os bebês. Uma organização local de adoção chamada Guardians of the Green Mile concordou em recebê-los.

Nos dias em que foram encontrados na pilha de colchões, os filhotes já começaram a ganhar peso. Eles têm uma luz em seus olhos que não tinham há menos de uma semana.

Tudo para o seu cachorro! 🐶 Ofertas e promoções em brinquedos, rações, objetos para adestramento, camas e casinhas.  https://amzn.to/4dedKkG

Leia também:

Fonte: Tribuna de Jundiaí

Continue lendo
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

TAGS

+ VISTOS

Copyright © 2021 powered by Tribuna de Indaiatuba.