Connect with us

Mundo Animal

Cachorro que ficou no abrigo por 11 anos não acredita que finalmente encontrou um lar

Artigo

em

Conheça Pitufo – um cachorro de abrigo na Argentina que, contra todas as probabilidades, encontrou o lar perfeito há algumas semanas. Depois de mais de uma década de espera, o cachorrinho de 14 anos está finalmente provando o amor pela primeira vez, e sua reação está derretendo o coração de todos. Para Silvana, cofundadora do Hogar Corazón Animal em Moreno, Buenos Aires, a recente adoção de Pitufo parece um milagre.

Quando ela o resgatou pela primeira vez em 2012, já havia alguns obstáculos entre Pitufo e seu lar definitivo. Pitufo tinha cerca de 5 anos de idade quando se juntou à equipe da Hogar Corazón e era visto como menos desejável do que um filhote. Além de ser um adulto, o abrigo também não tinha muitas oportunidades de divulgá-lo.

LEIA TAMBÉM

“Como éramos uma organização menor, não tínhamos muita visibilidade e a mídia social ainda não existia”, disse Silvina ao The Dodo. “Era muito difícil para nós encontrar lares para nossos cães.” Mesmo quando os possíveis adotantes demonstravam interesse, muitas vezes eles não atendiam aos requisitos do abrigo. Para Silvina, encontrar um lar genuinamente amoroso para seus cachorros era de extrema importância, não importava quanto tempo levasse.

Cachorro que ficou no abrigo por 11 anos não acredita que finalmente encontrou um lar
Foto: Hogar Corazón Animal

“Sou muito rigorosa com os lares para os quais adoto meus cães”, disse Silvina. “Eu os vejo como meus próprios filhos, e não confiaria meus filhos a qualquer pessoa. Sempre busco o melhor para eles.” Depois de 10 anos tentando divulgar Pitufo e examinando as poucas famílias que perguntaram sobre ele, o desejo de Silvina pelo filhote finalmente se tornou realidade.

A adoção finalmente chegou

Em 9 de agosto de 2023, Pitufo conheceu a família de seus sonhos: um casal amoroso chamado Estefanía e Sebastían. Além de um lar aconchegante, Pitufo ganhou dois pais incríveis e uma irmã gatinha peluda. Devido à longa permanência de Pitufo no abrigo, Estefanía e Sebastían esperavam que o cão tivesse dificuldades para se adaptar ao novo ambiente.

Mas Pitufo os surpreendeu. “Pitufo nunca teve uma família ou um lar, então sabíamos que a adoção poderia ser difícil”, disseram Estefanía e Sebastían. “Mas não foi. Ele se afeiçoou a nós e à sua irmã imediatamente.”

Cachorro que ficou no abrigo por 11 anos não acredita que finalmente encontrou um lar
Foto: Hogar Corazón Animal

Faz algumas semanas que Pitufo conheceu sua nova família, mas eles sentem que ele está com eles desde sempre. Agora, ele passa seus dias passeando, abraçando e fazendo sua rotina diária como se estivesse fazendo isso durante todos os 14 anos de sua vida. E esse menino doce e feliz não consegue parar de sorrir por causa disso. Silvina está sentindo falta de ver seu amoroso Pitufo no abrigo, mas está extasiada com o fato de que o pequeno finalmente encontrou sua felicidade para sempre. “Foi a melhor decisão”, disse Silvina, “porque agora Pitufo está incrivelmente feliz”.

Fonte: Tribuna de Jundiaí

Mundo Animal

Família é surpreendida com retorno de gato ‘perdido’ há 2 anos

Artigo

em

Por

Alyssa Nicole era apenas uma aluna da quinta série quando teve que se separar de seu amado gato, chamado Gato. Foi um momento difícil na vida de Nicole – ela e sua família estavam sendo despejados e tiveram que deixar repentinamente sua casa. A mãe de Nicole pediu a todas as pessoas que pudessem que acolhessem Gato, mas ninguém quis. Assim, ela foi forçada a entregá-lo a um abrigo.

Gato preto e branco sentado
Foto: Reprodução/Alyssa Nicole/The Dodo

Dois anos depois, a mãe da menina conseguiu encontrar uma moradia estável e eles se mudaram de volta para a região. Elas não conseguiam deixar de sentir que, sem um animalzinho por perto, a casa ficava vazia. Então, em uma noite, decidiram procurar um novo pet em um site de adoção. O que aconteceu em seguida foi algo que ninguém poderia ter previsto.

LEIA TAMBÉM

Esse gato está muito familiar

A mãe de Nicole se deparou com uma postagem sobre um gato que precisava de um novo lar. O felino na foto tinha exatamente as mesmas marcas faciais distintas de Gato, o antigo pet da família, até o ponto no nariz. Elas perceberam rapidamente que o felino não se parecia com o Gato, ele era o bichano. “Estávamos todos gritando”, disse Nicole ao The Dodo. “Estávamos muito animados e pulando para cima e para baixo.”

Gato preto e branco deitado em livros
Foto: Reprodução/Alyssa Nicole/The Dodo

A mãe de Nicole imediatamente entrou em contato com a pessoa que havia postado sobre Gato. Naquela mesma noite, eles foram buscá-lo. No trajeto de carro, Nicole e sua mãe estavam totalmente incrédulas. No TikTok, ela escreveu que toda a experiência era “muito estranha para ser uma coincidência”.

Menina segurando gato preto e branco no colo
Foto: Reprodução/Alyssa Nicole/The Dodo

No momento em que se reuniram com o bichano, foi como se o tempo não tivesse passado. Os dois anos que eles foram forçados a passar separados não eram nada comparados ao amor que tinham um pelo outro. “Ele nos reconheceu imediatamente. Estava miando e se esfregando em nossas pernas… estava pronto para ir para casa“, disse Nicole.

Gato preto e branco sentado em berço
Foto: Reprodução/Alyssa Nicole/The Dodo

Nicole e sua família ficaram profundamente felizes por ter seu amado Gato em casa novamente. Ele se sentiu confortável e se acomodou imediatamente. Finalmente, ele estava reunido com sua família. “Ele sabia que estava em casa agora”, disse Nicole.

Gato preto e branco deitado
Foto: Reprodução/Alyssa Nicole/The Dodo

Já se passaram seis anos desde que Nicole e sua família voltaram a se reunir com Gato. Agora ele tem 12 anos – um felino idoso que vai viver o seu “felizes para sempre” em seu lar. Mesmo depois de todos esses anos, Nicole e sua família ainda não conseguem acreditar como o destino interveio e trouxe seu amado gato de volta para eles.

Leia também:

Fonte: Tribuna de Jundiaí

Continue lendo

Mundo Animal

Mata Ciliar de Jundiaí reconstrói pernas de tamanduá-mirim atropelado

Artigo

em

Por

Um tamanduá-mirim, atropelado em uma rodovia, está lutando por uma segunda chance de vida no Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS) da Mata Ciliar de Jundiaí. O animal foi encontrado debilitado em uma rodovia e entregue ao CRAS pela equipe do Centro de Controle de Zoonoses de Espírito Santo do Pinhal.

Tratamento do tamanduá-mirim na Mata Ciliar de Jundiaí

Ao chegar à Mata Ciliar, o tamanduá-mirim foi imediatamente submetido a uma avaliação clínica completa. A equipe médica, liderada pela Dra. Julia Caraça Augusto, constatou fraturas em ambas as pernas do animal. As fraturas foram confirmadas por radiografia, revelando lesões graves na tíbia e fíbula.

LEIA TAMBÉM

Diante da gravidade das lesões, a equipe, em conjunto com os médicos veterinários Dr. Anderson Coutinho da Silva e Dr. Paulo Gabriel Gonzales, optou por realizar um procedimento cirúrgico complexo para reconstruir as pernas do tamanduá-mirim.

Raios-x de antes e depois de pernas de tamanduá-mirim atropelado
Foto: Mata Ciliar

A cirurgia, que durou cerca de duas horas, consistiu na colocação de um pino intramedular na tíbia e de uma placa com parafusos para estabilizar a fratura. A fíbula também foi reconstruída com um pino intramedular.

Cirurgiões durante operação de tamanduá-mirim na Mata Ciliar.
Foto: Mata Ciliar

Desafios da anestesia em animais silvestres

O Dr. Paulo Gabriel Gonzales, médico veterinário anestesista responsável pelo procedimento, ressaltou os desafios da anestesia em animais silvestres, especialmente em tamanduás-mirins.

“Assim como todos os animais silvestres, temos muita dificuldade por conta da falta de
estudos e pesquisas em relação aos parâmetros e quais variáveis que precisamos nos atentar
para realizar a anestesia. No caso do tamanduá-mirim, a grande dificuldade é o manejo das
vias aéreas, é desafiadora, mas nosso paciente foi bem tranquilo, o mantivemos na máscara e
não tivemos problemas com os parâmetros de pressão e frequência. Foi um sucesso,
ocorrendo tudo bem nessas duas horas de cirurgia”, ressalta.

Cirurgiões durante operação de tamanduá-mirim na Mata Ciliar.
Foto: Mata Ciliar

Após a cirurgia bem-sucedida, o tamanduá-mirim está sob cuidados intensivos na Mata Ciliar. A equipe monitora sua alimentação, cicatrização e administra medicações e curativos diariamente. O objetivo é garantir a recuperação completa do animal e sua eventual reintrodução ao ambiente natural.

Leia também:

Fonte: Tribuna de Jundiaí

Continue lendo

Mundo Animal

Cachorro perdido há semanas pula de alegria ao se reunir com seu tutor

Artigo

em

Por

Nunca é fácil perder um cachorrinho. Muitas vezes, porém, eles não são perdidos para sempre. Basta perguntar a este tutor que pensou que nunca mais veria seu cachorro.

Há algumas semanas, o Centro de Cuidado Animal de Nova York acolheu um cão que foi encontrado vagando sozinho. Todos no abrigo se apaixonaram imediatamente por ele. Eles decidiram chamá-lo de José e publicaram um TikTok sobre o recém-chegado ao abrigo.

LEIA TAMBÉM

“Com 135 libras [cerca de 60 kg], ele era um gigante adorável e gentil que era muito cativante para não ser compartilhado”, disse o abrigo em um TikTok. Enquanto isso, porém, o tutor de José, Mecca, estava sentindo muito a falta dele. Ele não tinha ideia de onde ele estava e não tinha certeza se o veria novamente.

Felizmente, essa história tem um final feliz. Mecca, que estava procurando seu cachorro desaparecido por toda a cidade, encontrou um TikTok que mudou tudo completamente.

O cachorro José era na verdade Mecca Jr.

Ele viu o vídeo que o abrigo havia postado de José e é claro que reconheceu imediatamente seu amado cachorro. Assim que viu o vídeo, ele entrou em contato com o abrigo. Ele disse a eles que o nome de “José” era, na verdade, Mecca Jr. e que ele estava procurando por ele em todos os lugares.

No dia seguinte, o tutor correu para o abrigo para se reunir com Mecca Jr. No segundo em que o cachorro viu seu pai, ele se transformou – era quase como se ele tivesse se tornado um cão completamente diferente. “Assim que José o viu, ele se livrou de seu comportamento gentil e indiferente, revelando sua verdadeira personalidade agitada e pateta. Ele encheu seu pai de abraços sem parar”, disse a equipe do abrigo.

Normalmente, a ACC tem um procedimento para garantir que os humanos que reivindicam um cão sejam de fato os guardiões legítimos desse animal. Mas, com base na reação exultante de Mecca Jr., não poderia ter ficado mais claro que esse cachorro e esse humano pertencem um ao outro.

Leia também:

Fonte: Tribuna de Jundiaí

Continue lendo
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

TAGS

+ VISTOS

Copyright © 2021 powered by Tribuna de Indaiatuba.